Translate

16 de janeiro de 2013

Escrevo aqui há um tempo, já pensei em mudar título, apagar textos, corrigir outros e até em deletá-lo por completo, por mudar o modo como penso em muitas coisas, mas decidi apenas continuá-lo, afinal como aprendiz e alguém de funcionamento muito peculiar, dou-me à mudanças, me reinvento!

SE HOUVER ALGUM TEXTO OU IMAGEM UTILIZADO NESSE ESPAÇO QUE SEJA SEU E VOCÊ NÃO ESTEJA DE ACORDO COM A EXPOSIÇÃO, ENTRE EM CONTATO: justine-ss21@hotmail.com

Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Cadelinha cadelinha, cuidadinho hein!

cadelinha sua
cadelinha teimosa
cadela que provoca
cadela que te ama
rebeldia que não tem fim
que treme pelos castigos
que se alegra com o DONO
e que se perde na sua falta.
saio e entro na linha
doidinha pra te ver contar
os números, meus números!
o erro me entristece...
mas te provocar eu amo
seu sadismo exala e me excita
e fico aqui, parecendo no cio
lembrando, imaginando e fazendo cenas
cenas de domínio
cenas de submissão
ah como eu amo sentir
aquele medinho que me dá arrepio
e fico taradinha
precisando da sua coleira
das suas mãos
que seguram o cinto
e do seu olhar sádico
aiii como adoro ser sua!

Sua falta...


Saudade apertada, doída, as vezes água no canto dos olhos, é quando me perco em suas lembranças, me sinto sua mas me falta você, seu olhar, sua voz, seu toque... Necessito me sentir mulher, cadela, submissa, de rebeldia vencida e orgulho quebrado pelo seu domínio.
Não me pergunta se tenho saudades, pois te respondo que tenho mais, tenho falta, sua falta! Matá-la num dia... Conseguiria se o que sinto fosse superficial. Preciso de algo a mais para pensar, distrair-me, amenizar minha intensidade, jamais minha entrega, mas controlar-me, conter-me, resguardar-me...
Em desequilíbrio... Pensamento ardido, ações contidas, entrega profunda, segurança abalada, consciência sã, paciência ativa, aflição inevitável... Preciso de tudo. Oscilo, brigo com você, desconto em mim. Venha me ponha no meu lugar (...)

Reclusa... profunda reflexão...


eu queria poder te servir, de me realizar em vc, ver se realizando em mim, queria poder ser na pratica o que sou no abstrato pra vc, eu queria poder muitas coisas com vc, mas entendo desde o começo que nao posso, foi a condição que aceitei. eu choro na aflição de ser sua e nao ser, fico perdida as vezes e meio sem rumo, deixar eu nao te deixo, eu quero vc, mas me perdi até onde poderia te querer...


Indomável submissa


...de te sentir, te ouvir, de me querer, de me fazer ser o melhor de mim, de sentir seu cheiro.... seu gosto, de me consumir de saudades de ti.... tudo me enlouquece, tudo me aclara... eu vim pra você, vim pra ser sua, te fazer as vontades, te aceitar sem escolha... me rendo à você e somente à você sou submissa, me recato na minha natureza indomável, quando te vejo a rebeldia dá lugar à servidão.... reluto quando te sinto longe porque não suporto ser escrava da liberdade, sou  livre sob seu domínio... livre! livre para ser como sou, para me realizar com seu prazer... seu prazer me inebria e saio de mim,

Aprendizado

Deixar-te e seguir meu caminho livre para ser de alguém que possa me ter, ou continuar, esperar-te esperar-te esperar-te... para quando? como? Meu dilema. Eu sofro, não tenho saído das expectativas, quase sempre me frustro, culpa sua? não. Não há culpados nisso, aprendizes somos até partir dessa vida melhor do que chegamos. Houveram erros? sim. Não cabe a mim ditá-los, a consciência trabalha pra isso, erros necessários. Erramos para aprender e fazer melhor na próxima. Aprendi muito, porém sei que não o suficiente, estou novamente a errar se for preciso, erramos tentando acertar, isso que importa, a real intenção. 
Entregar-se é puro, é ser forte, é confiar... dominar é ser sábio e sensível, por mais que se enganem aos desavisados. Sentir a entrega não é para qualquer um que apenas queire, mas para o que faz de sua autoridade acalento de sua submissa. Não me ameace, ameaçada tranco-me, me deixe segura de Ti, um porto seguro acessível sempre que necessitar de colo será no seu que vou deitar-me, assim dando-me a Ti...

-> por Luis Fernando Veríssimo...

Dar é dar.
Fazer amor é lindo,
é sublime,
é encantador,
é esplêndido,
Mas dar é bom pra cacete.

Beijos e Abraços

Para se roubar um coração é preciso que seja com muita habilidade, tem que ser vagarosamente, disfarçadamente, não se chega com ímpeto, não se alcança o coração de alguém com pressa.
Tem que se aproximar com meias palavras, suavemente, apoderar-se dele aos poucos, com cuidado.
Não se pode deixar que percebam que ele será roubado, na verdade teremos que furtá-lo docemente. Conquistar um coração de verdade dá trabalho (...)

(...) Para se conquistar um coração definitivamente tem que ter garra e esperteza, mas não falo dessa esperteza que todos conhecem, falo esperteza de sentimentos, daquela que existe guardada na alma em todos os momentos (...)
(...) E então quando finalmente esse coração for conquistado, quando tivermos nos apoderado dele, vai existir uma parte de alguém que seguirá conosco. Uma metade de alguém que será guiada por nós, e o outro coração passará a bater por conta desse outro coração (...)

(...) E é assim que se rouba um coração, fácil não?
Pois é, nós só precisamos roubar uma metade
a outra virá em nossa mão (...)

-> Fragmentos de Beijos e Abraços de Luis Fernando Veríssimo.

... me ame!

Eu te quero hoje e sempre,
Minha intensidade se aperfeiçoa em você,
Sou tua e estou para você inteiramente!
A distância rebela e descontrola meu ser
Mas me basta você,
Seu domínio,
Seu sadismo,
E me ponho no lugar de cadela.
Me bata,
Me prenda,
Me repreenda,
E me ame!
Assim me destravo
Assim me dou
Assim sou sua,
Entregue à você...

Refletindo

Converso muito, discuto, questiono e reflito a respeito: sadomasoquismo... é definível? Há diferentes formas de defini-lo? Não serão o tempo e a atenção aos erros que influenciariam tal definição?... realmente não sei; estabelecer uma relação entre o que é e não é de fato o SM é tão ineficiente quanto tentar estipular uma receita para um relacionamento, onde cada qual em sua particularidade se envolve e desenvolve de forma peculiar.

Palavras ao vento

Natureza crítica...
Comportamento profundo
Observadora nata
Introspecção visível
Comunicação sublinhar...

Humor sarcástico/sensual
Relacionamentos duradouros
Amiga fiel
Companheira de vida
Mulher lasciva e fugaz...

Me ouves, pois quero-Te!

(...) já confesso-me a ansiedade que sinto de Ti, conhecer-Te, mostrar-me... Estou a procura, preciso encontrar, escolher-Te para ser escolhida e ter a chance de você. Não nego, quero cofiar-me a Ti, dê-me a chance se procuras realmente SUA SUBMISSA. O passado está ficando mais distante que imagino do presente, ou será ansiedade de Ti? Não sei, teste-me! Necessito-Te! Escrevo o que não falo, falo que quiseres ouvir, solicite-me que me abro, torno transparente o que me protege segurando minha entrega, assim mostro-te quão acessível sou, reconhecendo sua natureza que não engana, Sádico Dominador...
Imaginei sentir seu olhar sádico percorrendo-me o corpo (em qualquer situação que ele estivesse) e me desejando, se satisfazendo e me enchendo o orgulho de submisso masoquista. Não sei se consigo cumprir suas exigências, mas quero tentar, conseguir e surpreender-Te se for possível. Aguardo-Te silenciosa.

Seu sadismo, Sua posse...

No teu olhar quero sentir o domínio que corre em suas veias, do teu sorriso ouvir sua natureza sádica que me toca o instinto e me faça arrepiar a pele de desejo... de medo... de prazer. Toque-me, descubra-me, me extraia o melhor que posso ser sempre... Encoste-me no limite, reconheça-o.
Eu aprendo, ensina-me! Pois assimilo-Te... Química, sentir-me parte de você. Encoleire-me, toma conta de mim e me cuide, assim me prende e eu não mais terei vontade de ir (...)

Faça-me sentir-te Dono de mim

Me darei tão intensamente a ti quanto poderás me ter para você. Quero poder ser tudo, realizando o que vir de suas fantasias, realize-me permitindo-me adentrar em seus desejos profundos, me faça cadela para a sua libido, masoquista para o seu sadismo, submissa ao seu domínio... prenda-me, amarra-me, bata-me, mas não me deixe fugir, não hei de querer fugir! Só repreenda-me o orgulho rebelde que desafia-te, para ter-lhe presente, próximo da sua fêmea. Serei o que quiser quando quiser, se me deixar segura de que me quer só sua para seus gostos... ensina-me suas preferências, faça-me acatá-las, me castigues com amor, me domine com carinho... Faça-me sentir fêmea... SUA fêmea.