Translate

16 de janeiro de 2013

Escrevo aqui há um tempo, já pensei em mudar título, apagar textos, corrigir outros e até em deletá-lo por completo, por mudar o modo como penso em muitas coisas, mas decidi apenas continuá-lo, afinal como aprendiz e alguém de funcionamento muito peculiar, dou-me à mudanças, me reinvento!

SE HOUVER ALGUM TEXTO OU IMAGEM UTILIZADO NESSE ESPAÇO QUE SEJA SEU E VOCÊ NÃO ESTEJA DE ACORDO COM A EXPOSIÇÃO, ENTRE EM CONTATO: justine-ss21@hotmail.com

Manhã em Nota


-> Meu conto no outro blog "Relatos de Sophia" também escrito por mim.

Há tempo que venho querendo escrever-te algo, certamente encontro alguma dificuldade pelo teor da realidade com que tudo vem me acontecendo, sim, é tudo real, sou eu, sua cadela que é cuidada, usada e amada por você. Talvez meses atrás me fosse mais fácil ficar vagando incessantemente pelas fantasias obscuras de uma masoquista, mas hoje me acontece de forma maciça e consistente tudo aquilo que um dia fiquei imaginando enquanto jogada na cama numa manhã de domingo ou numa noite de sábado.


Minha imaginação sempre ia longe, mas quase nunca se atentava a aspectos que hoje você me mostrou que existem, e melhor! me acostumou a eles! (risos)... Sua forma carinhosa e atenciosa de me cuidar, atento ao que preciso sendo na cama presa, no porão algemada, encoleirada pela casa ou de cinto trancado pela rua; sentir-me cuidada é sempre gostoso e gratificante, me faz mais e mais querer ser sua.

Seu olhar me acalenta e me sinto mais e mais capaz de superar qualquer contratempo que venha existir e se por no caminho, continua me olhando, sempre! Pois me perco e me encontro nos seus olhos azuis que também me acalmam, mas me enlouquecem de tesão, de paixão queimando-me de desejo e de fantasias por e com você. Acordar ao seu lado é algo que não encontro palavras para descrever o todo que isso significa e o que representa quando te sinto me abraçar pela cintura debaixo do edredom, fungar em minha nuca e me beijar o rosto como quem quer me despertar... Suas mãos quentes de dedos grossos e de suave aspereza num toque que abraça, segura e agarra; seus ruídos quentes sobre a pele das costas e pescoço me envolvem, minhas costas sente os pelos do seu corpo e fazem sentir-me fêmea, sua fêmea! E logo abaixo sentir-te rijo por entre minhas coxas quentes de manhã é um tesão sem medidas; já meio desperta me esfrego me aconchegando e me encaixando melhor em você, ouvindo me chamar de cadelinha já nas primeiras horas do dia, é maravilhoso! Não dá vontade de levantar, quero ficar ali pra sempre! (Que delícia!)

... Suas mãos correm-me o corpo, se encaixam nos meus seios pequeninos, agarra-os por inteiro de baixo para cima, então a mão direita escorrega pela barriga e sinto seus dedos na entrada dos meus pelos aparados, te sinto insinuar o quadril para frente, num movimento lento e quente, projetando seu pau ainda mais por entre minha coxas, meu corpo se contorce de leve, você continua descendo suas mãos pela minha coxa, até quase ao joelho e sobe agarrando minha bunda, tão firmemente que solto um gemido de quem tá gostando (taradinha isso sim! kkk) cadela desperta! (risos) encoleirada faço questão de movimentar o pescoço só para sentir os limites da coleira, e a sensação de ser completa cadela me acende! Ainda de conchinha em você abro aquele sorrisinho maroto, de canto, com os olhos ainda meio cerrados beijo seu braço e sua mão, seu cheiro inebriante de macho buscando sua fêmea não me engana, cheiro doce, lascivo, de pele de pelos misturados a notas de seu perfume que se fundem no seu inconfundível aroma que me excitam os sentidos de cadela!

... Acaricio-lhe o braço que não se atreveu descer, passo minhas mãos por entre minhas costas e seu tronco peludo, isso me excita! Desço ainda mais até onde alcanço pela parte externa da sua coxa e volto subindo devagar por entre suas pernas que minimamente se afastam a fim de que alcanço seu pau que lateja excitado e deliciosamente ansioso pra me comer; subindo, "abraço" seu saco e continuo deslizando os dedos até a cabeça macia, quente... (hummm, adoooro isso! - eu capetinha! kkk) adoro pegar no seu pau! Seguro firme e macio te massageando rijo e latejantemente delicioso! Sua voz então soa mais firme e penetrante para meus sentidos, e você diz: CADELA, DONO QUER TE COMER! e continua: DONO VAI TE USAR!  (ain, que eu até sinto a espinha última descendente tentar se enrolar!) e já estou arqueada me oferecendo como cadela sem nem perceber quando isso se deu, mas teimo em dizer que não, adoro fazer charme pro dono (risos) ele sabe. 

Então falo em negação, como quem tá de xana cansada (e geralmente estou! risos) mas é charme! Para sentir os trancos que me dá! (que delícia isso!) mas o corpo fala! e estou oferecendo a bunda que nem cadela vadia, mas reluto para que sua mão não me toque a xaninha, e já sinto um puxão firme e forte de cabelo, me projetando o pescoço para frente enquanto minha cabeça no intuito de aliviar a tensão da pegada se projeta para trás, me fazendo oferecer ainda mais a bunda, meu sexo já está molhado de vontade e minhas pernas relaxam enquanto te sinto segurar-me forte pelos cabelos, você já um pouco sobre mim, e sua mão me massageia a xana, parece que ela vai te engolir os dedos! kkkk cadela tarada! nesses momento me sinto mais masoquista, e a mistura do desejo insano de ser feita puta escravizada se misturam ao momento e gemo, fico ofegante e sinto você relaxar os cabelos... naturalmente e suavemente me ponho de bruços na cama, joelhos na cama, posicionados paralela e arreganhadamente, bunda empinada, tronco no colchão e cara no travesseiro... como uma cadela puta, querendo ser comida, nem abro os olhos, a escuridão me faz ficar mais sensível ao toque...

Dono se levanta na cama, afastando as cobertas para os pés, se postando logo encostado na minha bunda, minhas pernas são aproximadas projetando meu ânus para cima, e joelho a joelho te sinto se colocar externamente às minhas pernas, o quarto está iluminado pelo abajur de cabeceira, minha xaninha não se aguenta e se contrai involuntariamente, pedindo para ser violentamente comida, dono segura seu pau e encosta a cabeça macia na entrada molhada, me segura pelas ancas e desce até o fundo, te ouço excitado e nessa posição te olho nos olhos, o vejo concentrado se fartando de sua cadela, isso me excita... o movimento fica cada vez mais intenso e profundo, como quem quer me rasgar, te sinto deitar sobre minhas costas me segurando as mãos sobre a cama, então me sinto sua cadela, completa, amada e cheia do seu pau que me massageia o colo, me faz gemer que nem cadela no cio, e meu corpo é impulsionado pra frente a cada incitação firme, e te ouço falar incisivamente: CADELA GOSTOSA! me chama de puta: PUTINHA DO DONO, TE COMO QUANDO QUERO! VOCÊ DÁ PRO SEU DONO ENCOLEIRADA, QUE NEM CADELA QUE É! nossaaaa! eu piro! e levanto mais a bunda querendo ser rasgada!

... Se distancia das minhas costas e sinto um ar frio passar, mas ainda estou cheia do seu pau, sua mão esquerda me segura contra a cama na região do pescoço e sua outra mão me segura boa parte dos cabelos me trazendo a cabeça para cima, assim você me come mais frenético e te ouço urrar, seu pau lateja dentro de mim, então você bruscamente me solta os cabelos e se retira de mim, me deixando vazia, sentindo um gelado da manhã, e goza na minha bunda, me melando toda, batendo o pau de leve finalizando o gozo na cadela, seu corpo se estremesse, suas feições são as melhores, então me sinto satisfeita, em ter lhe proporcionado prazer, prazer pela cadela, que se sente feliz, completa, dengosa...

Você se posta ao lado, relaxado, e eu me aconchego em você, como quem procura colo, e sou aninhada de modo carinhoso, me sentindo assim, menina, mulher, cadela, puta e vadia de um dono, sua menina-mulher-cadela-puta-vadia-encoleirada!

... Tem sido assim meus momentos integrais ao seu lado, vida de cadelinha, de mulher-cadela! menina, mas Mulher! ou mulher-menina?! (risos) sei que adoro tudo, e estou feliz com você, te amo dono gostoso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lembre-se! A boa educação, a humildade e o respeito abrem portas!